quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A AULA

PROCEDIMENTOS E RECURSOS DE ENSINO
Ensinar não existe sem aprender e, aprender não existe sem ensinar e, ambos não existem sem que haja algo a ser ensinado.

Não basta o professor conhecer/saber o conteúdo a ser ensinado e, ao elaborar suas aulas, optar por qualquer (ou sempre pelo mesmo) recurso ou procedimento.

É preciso considerar a especificidade e a realidade que se apresentam: qual a melhor maneira de ensinar um determinado conteúdo a um determinado grupo de alunos? (Paulo Freire)



A AULA

AULA indica a exposição didática de qualquer assunto feita pelo professor aos alunos num determinado espaço de tempo.

ENSINO esforço orientado para a formação ou modificação da conduta humana.

ZABALLA, 1998 – cada aula constitui um conjunto de atividades ordenadas, estruturadas e articuladas para a realização de certos objetivos educacionais que tem um princípio e um fim conhecidos tanto pelos professores como pelo alunos.


LIBÂNEO, 1992 - uma boa aula precisa cumprir algumas exigências:


 Ampliação do nível cultural e científico dos alunos, assegurando profundidade e solidez aos conhecimentos assimilados:



2- Seleção e organização de atividades dos alunos que possibilitem desenvolver sua independência de pensamento, a criatividade e o gosto pelo estudo;

3- Empenho permanente na formação de métodos e hábitos de estudo;

4- Formação de habilidades e hábitos, atitudes e convicções, que permitam a aplicação de conhecimentos na solução de problemas em situações de vida prática;

5- Valorização da sala de aula como meio educativo, para formar as qualidades positivas de personalidades dos alunos;

6- Condução do trabalho docente na classe, tendo em vista a formação do espírito de coletividade, solidariedade e ajuda mútua, sem prejuízo da atenção às peculiaridades de cada alunos.

ESTRUTURAÇÃO DA DIDÁTICA DA AULA


PROBLEMAS DE ORIENTAÇÃO NOVAS PERSPECTIVAS

DO OBJETIVO

O esquema apresenta interdependência e dinâmica do processo.


Saint-Onge (1999) destaca que o ensino apresenta sete funções:



1- Recordar conhecimentos anteriores significativos para as aprendizagens novas;

2- Dar aos alunos novos elementos de conhecimento;

3- Organizar exercícios supervisionados;

4- Fazer a correção dos erros de aprendizagem;

5- Levar os alunos a fazer exercícios autônomos ( trabalhos e estudos);

6- Fazer periodicamente a síntese de elementos já aprendidos.





Tipos de aula:

a) ORGANIZAÇÃO DO ENSINO:



-ENSINO INDIVIDUAL – ensinar uma pessoa de cada vez.



-ENSINO SIMULTÂNEO – ensinar várias pessoas de cada vez.



b) FINALIDADE DA AULA:



-aulas de preparação e introdução da matéria

-aulas de tratamento mais sistematizado da matéria nova

-aulas de consolidação

-aulas de verificação da aprendizagem



c) MÉTODOS DE ENSINO



Haidt (2002) organiza os métodos de ensino da seguinte forma:



-A aprendizagem como um processo individual, mas social, que valoriza as diferenças individuais e a adequação de conteúdos à maturidade, capacidade intelectual e ritmo de aprendizagem de cada aluno.

- Os que valorizam a interação social e entendem que a aprendizagem deverá se efetivar no grupo.

- Métodos que combinam atividades individualizantes e socializantes, alternando aprendizagem e social.



Em uma aula expomos de forma mais nítida que se possa imaginar. Naquele espaço-tempo pedagógico deixamos transparecer aos nossos alunos as nossas crenças , as nossas idéias, o nosso pensar, a nossa postura, o nosso almejar, os nossos medos, as nossas angustias, as nossas incertezas, o nosso EU.


O QUE SÃO PROCEDIMENTOS DE ENSINO


Muitos são os estudos sobre como nós, seres humanos, aprendemos e retemos a aprendizagem.

Turra (1993) pesquisa sobre a retenção da aprendizagem.

Desmistifica a idéia que somente se ensina falando e se aprende ouvindo e fazendo exercícios de repetição.

Aprendemos:



1% através do gosto



1,5% através do tato



3,5% através do olfato



11% através do ouvido



83% através da vista





Retemos:

10% do que lemos



20% do que escutamos



30% do que vemos



50% do que vemos e escutamos



70% do que ouvimos e logo discutimos



90% do que ouvimos e logo realizamos



Isso significa refletir como a escolha de procedimentos de ensino pode nos ajudar a aumentar as possibilidades de acesso do aluno as informações, saberes e conhecimentos que estamos pretendendo ensinar-lhes e decidirmos por aquele que favoreça ao trabalho com determinados tipos de conteúdo.



PROCEDIMENTO DE ENSINO – são ações, processos ou comportamentos planejados pelo professor, para colocar aluno em contato direto com coisas, fatos ou fenômenos previstos.



Método é uma sequência de operações, é um procedimento didático caracterizado por certas fases e operações para alcançar um objetivo previsto.



O procedimentos de ensino são facilitadores dos processos de aprendizagem devemos levar em conta:



- a compatibilidade em relação aos objetivos estabelecidos para o ensino e a aprendizagem.

- a adequação à natureza dos conteúdos a serem desenvolvidos e ao tipo de aprendizagem que se pretende efetivar.

-as características dos alunos

-as condições físicas e tempo disponíveis



Com base nesses aspectos que o professor poderá estabelecer formas de intervenção na sala de aula para mediar o acesso do aluno aos conhecimentos escolares, que é denominado o como ensinar.



Métodos ou Procedimentos de Ensino



INDIVIDUALIZANTES – valorizam o atendimento às diferenças individuais e fazem a adequação do conteúdo ao nível e ritmo de cada aluno.

Ex. aula expositiva, ensino programado, estudo dirigido, centros de interesse.



SOCIALIZADOS: valorizam a interação social.

Ex. trabalho em grupo, dramatização, estudos de caso, estudos do meio.



SÓCIO-INDIVIDUALIZADOS – combinam atividades individualizados e socializadas, alternando suas fases.

Ex. método de projetos, método da descoberta, solução de problemas, unidades didáticas.



Normas didáticas que devem nortear o trabalho docente:



a) incentivar sempre a participação dos alunos, criando condições para que eles se mantenham numa atitude reflexiva

b) aproveitar as experiências anteriores dos alunos, para que eles possam associar os novos conteúdos assimilados às suas vivências significativas

c) adequar o conteúdo e a linguagem ao nível de desenvolvimento cognitivo da classe.

d) Oferecer ao aluno a oportunidade de transferir e aplicar o conhecimento aprendido a casos concretos e particulares, nas mais variadas situações

e) Verificar constantemente, por intermédio, da avaliação contínua, se o aluno assimilou e compreendeu o conteúdo desenvolvido

2 comentários:

  1. Sandra Conceição Mazzeo19 de março de 2012 15:34

    Boa Noite! Srª Profª Mestra Dirigente Regional de Ensino da Região de Osasco,(DERO), muito boa as orientações para uma melhor metodologia expressa acima, em nível de propiciar uma aula mais atraente e cognitiva.
    Apreciei também as citações, dos autores que deverão ser consultados, para que haja maior envolvimento dos alunos pelas aulas ministradas....
    Sua sempre Professora e amiga Sandra Mazzeo.

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS PELO APOIO ÀS ESCOLAS QUE ESTÃO PRECISANDO DE AUXÍLIO EM MANUTEÇÃO, ESTÃO LINDAS TAMBÉM......
    TENHA UMA BOA NOITE....SANDRA MAZZEO

    ResponderExcluir